quinta-feira, 4 de outubro de 2007

NOITES SEM TI

Noites Insones
vaguei sozinho e sem rumo
Perdendo-me nas esquinas
Caindo em tabernas
onde bebi tua falta
onde chorei minha derrota
Quanto mais andei
a noite tingiu-se de dor
na cabeça a doença do peito
e nas calçadas meus passos tristes

TÃO LONGE DAQUI...

Sonha minha criança
a Cuca não vai te pegar
E em algum lugar
embaixo do céu
procuro por você
Enquanto molha o dedinho no mar
morro de saudades
Na serra ou no sertão, solitário
O meus-teus olhos tão vivos
E tua fala que baila
E meu peito lacunado
Sonha meu bebê
Que daqui o papai te espera

(Para o grande amor da minha vida, minha filha Ísis, que mesmo longe, está comigo)

UMA VIAGEM

Na cinza do meu cigarro
Queimo a tristeza que me cerca
Mato a fome que me abala
Perco o sono que não tinha
Na fumaça que sobe
Eu vou meio lúcido
Chego na extratosfera
E volto
Queda livre
Volto
Terra
Chego
Pulmão
Manchas
Mente
Livre

27-09-07

Esta ausência que me mata...
Fico com a mente fixa
em tua lembrança
Vagas visões de tua face
e um forte cheiro do teu corpo
ainda em mim
um pouco do que fomos nós
Passa o dia
e já são quatro meses
sem beijar teu sorriso
e ter suas mãos a me acalmar